Mutirão contra o Aedes Aegypti já visitou 7,4 mil residências em Itapevi

56352713_2499954380075363_8809425657256738816_n
No próximo sábado (6), Amador Bueno receberá o mutirão. (Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Itapevi realizou no último sábado (30) mais um mutirão contra o Aedes Aegypti, para combater a dengue, zica e chikungunya. Cerca de 700 casas e apartamentos foram visitados na Cohab. A ação também retirou do bairro 19 toneladas de lixo e entulho acumulados.

Este foi o décimo primeiro mutirão realizado em Itapevi neste ano. O próximo acontecerá em Amador Bueno, no sábado (6). Eles estão sendo realizados sempre aos sábados em diferentes bairros do município e acontecem até o dia 27 de abril.

Iniciada em janeiro pelo Departamento de Controle de Vetores da Prefeitura de Itapevi, a ação já visitou 7.459 residências em toda a cidade. O serviço de Cata-Bagulho também foi reforçado e recolheu, até agora cerca de 107 toneladas de entulho. Os dados são das Secretarias de Saúde e de Infraestrutura e Serviços Urbanos.

Os mutirões já foram realizados nos bairros Jardim Santa Rita, Vila Santa Rita, Jardim Rainha, Chácara Vitápolis, Cardoso, Jardim São Carlos, Briquet, Santa Cecília, Colinas de Itapevi e Cohab.

Neles, a Prefeitura colocou telas para proteger caixas d'água em 727 imóveis. Em 59 residências foram encontradas larvas do mosquito, que foram eliminadas.

No entanto, os agentes de Saúde e de Controle de Endemias encontraram 1.914 residências fechadas e, em 95 ocasiões, os moradores se recusaram a deixar as equipes técnicas entrarem para realizar as vistorias. Foram encontrados 34 imóveis desocupados ao longo destes mutirões.

Registros em Queda

Graças aos esforços da Prefeitura para combater o mosquito Aedes Aegypti e à colaboração de toda a população, Itapevi teve apenas um caso confirmado de dengue em 2019.

Isso faz de Itapevi a cidade da Região Oeste com a menor incidência da doença neste ano, ao lado de Jandira e Pirapora do Bom Jesus, ambas com um caso confirmado cada.

Os dados, que englobam do início do ano até o dia 21 de março, são do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual da Saúde.

Para efeito de comparação, os municípios de Barueri e Santana do Paranaíba tiveram 4 casos confirmados cada, enquanto Cotia teve 6 e Osasco, 21. Já a cidade de Carapicuíba registrou o maior número da região: 25 confirmações.

Além disso, o caso registrado em Itapevi foi contraído fora da cidade, sinal de que o trabalho preventivo da administração municipal tem dado resultado.

Não houve alta na incidência da doença em Itapevi em relação a 2018, quando também houve apenas um caso confirmado no mesmo período.

Aedes aegypti

Com hábitos diurnos, o mosquito se alimenta de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e ao entardecer. A reprodução acontece em água limpa e parada, a partir da postura dos ovos pela fêmea em diversos criadouros.

Para combater o mosquito, é de extrema importância que a população atenda os agentes de endemias e abra as residências para vistorias de potenciais criadouros do vetor.

O munícipe também deve contribuir com a redução da doença evitando recipientes com água parada através de medidas simples tais como: o lixo deve ser colocado no lixo, o descarte de copos e garrafas devem ser feitos em lixeiras, realizar periodicamente limpeza das calhas, tampar ralos e vasos sanitários.

Outras medidas são: verificar os materiais inservíveis, que devem ser colocados para coleta pública, tampar os tonéis e caixas d´água, manter o lixo em sacos bem fechados, deixar garrafas sempre viradas de boca para baixo, eliminar o prato de vasos de plantas ou usar prato justaposto, limpar com escova ou bucha os potes de água dos animais, retirar a água acumulada atrás da geladeira ou da máquina de lavar, telar e tampar caixas d'água e não deixar acumular água em lajes, uma vez que a maior proliferação de larvas são encontradas nestes reservatórios. 

Veja mais notícias sobre SaúdeItapevi.

Veja também: