Escola + Bonita vai revitalizar mais de 2 mil escolas estaduais com trabalho de presos

escola-mais-bonita-1_ce294f9c
Escolas da rede estadual ganharão uma cara nova graças ao trabalho de presos em regime semiaberto. (Foto: Divulgação)

O Governador João Doria lançou nesta quarta-feira (30/1) o projeto Escola + Bonita. A parceria entre as secretarias da Educação, Administração Penitenciária e de Desenvolvimento Econômico prevê a revitalização de 2,1 mil escolas estaduais de São Paulo até 2020, com o trabalho de presos em regime semiaberto.

"A pintura será feita em horários que não interrompam a utilização da escola e com todos os cuidados devidos, com tintas que não têm cheiro, para permitir que no dia seguinte professores, gestores, funcionários e alunos também possam frequentar", afirmou Doria.

Por meio do programa Via Rápida Expresso, serão pintadas 500 escolas. Neste projeto, os reeducandos participantes serão capacitados e pintarão escolas durante este curso profissionalizante.

Outras 1,6 mil serão recuperadas graças ao trabalho de presos contratados por meio da Fundação "Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel" - Funap, totalizando 2,1 mil escolas. Muitos destes reeducandos possuem capacitação em pintura, hidráulica e elétrica. Os que não tiverem serão qualificados pelo Centro Paula Souza. Todas as outras escolas que apresentarem a necessidade de reparos serão atendidas pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.

"Uma medida justa, humanitária, qualificante e positiva. Os detentos vão ajudar melhorando a qualidade das escolas. Escolas bem mantidas e bem pintadas melhoram o rendimento dos alunos", disse o Governador.

Graças a uma parceria entre as secretarias da Administração Penitenciária, da Educação e de Desenvolvimento Econômico, presos do regime semiaberto estão sendo capacitados como pintores. Os cursos possuem dois módulos, divididos em 25/horas de aulas teóricas e 75/horas de práticas.

Além de recuperar prédios públicos e contribuir para oferecer melhores condições de ensino, o programa ainda permite que os reeducandos possam sair com uma profissão após o cumprimento de pena – com essa qualificação, eles podem trabalhar como pintores profissionais. 

Veja mais notícias sobre CidadeEducaçãoObras.

Veja também: